"

terça-feira, 3 de junho de 2014

PINGANDO ÓLEO - X-men - Dias de um Futuro Esquecido (2014)

Posted by Pasteleiro On 12:00 1 comentários

Dentre os heróis, os X-men são meu grupo preferido, pois adoro a forma como eles funcionam como equipe. Para mim, eles são a equipe mais heterogênea que existe, tendo atuado em suas fileiras diversos membros de caráter duvidoso. Essa característica de equipe que aceita até elementos perigosos como Wolverine, Magneto e Dentes de Sabre com certeza serviram de inspiração para esses Vingadores.




Defendido meu gosto, tenho que dizer que não gosto muito da franquia dos X-men nos cinemas: as histórias são para mim apoiadas nos grandes clichês de quem não lê quadrinhos, com o Wolverine como protagonista e os outros personagens girando em volta dele. Tá certo que o Carcaju é o preferido de muita gente, mas isso não justifica tanto tempo de exposição.

Na minha opinião, o personagem do Hugh Jackman já está saturado no cinema e creio que o público mostrou isso quando gostaram tanto de X-men Primeira Classe - que não é perfeito, mas pelo menos tentou mostrar um pouco do universo dos mutantes além dos rostinhos conhecidos.

A novidade desse ano é X-men - Dias de um Futuro Esquecido, com a volta do top Bryan Singer, que abandonou os mutantes para seguir o lado da “Distinta Concorrência” com Superman. Porém, acabou falhando e voltando de vez para a Fox/Marvel, apostando num filme que reúne um elenco dos filmes antigos e dos novos (é basicamente o que o J.J Abrams fez em Star Trek, só que de maneira bem porca).




A trama do longa, inspirada na história em quadrinhos Dias de um Futuro Esquecido, apresenta um futuro no qual os Sentinelas, gigantes robôs desenvolvidos para exterminar mutantes, tomaram conta do mundo e praticamente escravizaram a humanidade. É claro que a HQ, por ter nas suas costas anos de cronologia e desenvolvimento dos personagens, é bem mais tensa e interessante que o filme. Mas vamos lá tentar entender se o longa funciona ou não.

Bem, primeiro devo dizer que o filme é muito confuso. Imagino que quem caiu de paraquedas na franquia deve se sentir totalmente perdido, é muita informação ao mesmo tempo. O final então, quando começam a aparecer certos personagens, é um teste para a memória de muita gente que não é fã de quadrinhos. A trama em si é bem vibrante, com cenas de ação ótimas em especial no futuro e também na Casa Branca (interessante que os X-men sempre fazem boas cenas na Casa Branca, só lembrar daquela do Noturno no segundo filme).




O elenco não compromete e parece que Singer resolveu apostar em seis protagonistas desta vez. Por isso, se preparem para muito tempo de tela com Hugh Jackman, James McAvoy, Patrick Stewart, Michael Fassbender, Ian McKellen e Jennifer Lawrence - respectivamente Wolverine, Xavier(s), Magneto(s) e Mística.

O resultado final não serviu para mudar muito a besteira dos outros filmes, ficou mais parecendo um mistura que não colou muito bem e ainda travou um final feliz para todos os envolvidos. Existe uma cena pós-créditos que não agrega nada ao filme e é só uma dica para a continuação.




Se você for fã dos X-men, não vá esperando grandes coisas. Se você não for, veja todos os filmes antes para entender a trama. Na minha opinião, só deixo o recado: FOX, CRIA VERGONHA NA CARA E FAZ O REBOOT DOS X-MEN OU DEVOLVE PARA A MARVEL.

Observação final: Mercúrio, o visual mais tosco com a cena mais legal. Ferrou pro Whedon em Vingadores fazer algo melhor que isso...uma pena.


Escrito por Fábio Campos

1 comentários:

puta cara amargo! kkkkk